19.5.19

A banalização da excelência

Foge cão que te fazem barão. Para onde se me fazem visconde?"
Dizia Almeida Garrett para criticar o ritmo alucinante com que se distribuíam títulos de nobreza no reinado de D. Maria II, na década 30 do século XIX. Também ele, afinal, viria a ser contemplado com o título de visconde.

Desde 1977, isto é, ao longo de 41 anos de democracia - ainda não contam as de 2019 -, os Presidentes da República já atribuíram 9477 Comendas Honoríficas.

Como cantava o velho Tony de Matos, cartas de amor/ quem as não tem...

A banalização da excelência passou a ter data fixa: 10 de junho.

Fogos regados a gasolina

Quando não  se tem cão,  caça-se com gato. E o tempo que não está de feição para atiçar fogos... Nanja por isso! Já o poeta bradava,...