17.1.18

Cadê os homens?! (Atualização )


"Daniela Ruah, Catarina Furtado, Sílvia Alberto e Filomena Cautela serão as anfitriãs do Festival Eurovisão da Canção. As apresentadoras vão ter a missão de conduzir as duas semifinais e a final da Eurovisão. O evento está agendado para 8, 10 e 12 de maio e vai decorrer no Parque das Nações, espaço que incluiu várias infraestruturas e onde se insere a Altice Arena.
Em Lisboa são esperados mais de 2.000 profissionais relacionados com o festival e 1.500 jornalistas, além de 30.000 fãs e visitantes."

Li isto algures e reagi com algum espanto ao painel das bonitas moçoilas, algumas com provas dadas, escolhidas para a apresentação do Festival da Canção. 
Sendo bonitas ( a Filomena com a boca fechada seria uma diva.), sendo experientes nas lides, então qual é o teu espanto? Perguntariam vocês desse lado.
O meu espanto resulta da composição exclusivamente feminina do grupo, penso que a opção não será por falta de jovens, ou menos jovens, apresentadores, mas não encontro justificação para esta discriminação. 
Porque é  de discriminação que se trata, e patético é  concluirmos que quem fica mal no retrato continuam a ser as mulheres...
Isto é o oposto da luta pela paridade do género.


Atualização:
Isto é a prova provada de que a comunicação social continua em plano inclinado em direção à perda de credibilidade. Cada vez mais há que duvidar de um jornalismo que escreve tudo e o seu oposto, que publica assuntos pela rama, etc.
Ou seja, a citação que abre este post pertence ao mesmo jornal (Jornal de Notícias) que hoje publicou:
" RTP elegeu seis apresentadores. A primeira semifinal do Festival será apresentada por José Carlos Malato e Jorge Gabriel. A segunda semifinal fica a cargo de Sónia Araújo e Tânia Ribas de Oliveira. Já a final será conduzida por Filomena Cautela e Pedro Fernandes."

Como podemos verificar, não só aumentou o número de apresentadores, como apenas uma das apresentadoras está presente nesta segunda versão.
Enfim!

8 comentários:

  1. Boa pergunta - porquê só mulheres???
    Quem ganhou o Festival até foi um homem.
    Está bem, a autoria da canção vencedora é de uma mulher.
    Mesmo assim...
    Bjs, bfds

    ResponderEliminar
  2. Pedro, tive de atualizar para eu não cair em descrédito! ☺
    O mesmo jornal, num curto espaço de tempo, publicou duas versões da notícia. Resultado: haverá uma terceira versão?
    Poderemos sempre pensar que isto é um assunto de lana caprina, mas se olharmos bem, não é, porque isto espelha a balda de um jornalismo que anda em roda livre.
    O Francisco Seixas da Costa explica muito bem este fenómeno:
    http://duas-ou-tres.blogspot.pt

    Bom fim de semana.
    Beijo, Pedro

    ResponderEliminar
  3. Estava a ESTRANHAR esse painel feminino de apresentadores.
    Com a Daniela Ruah?? Atriz que vive na america? Que carimba tem para apresentar? Só se fosse tipo os oscares, em que se tem uma pequena experiencia. Agora conduzir um programa inteiro, ulá lá.

    Depois tem outra coisa: A "prata" da casa quer toda associar-se ao momento e prestígio. Faz bem ao ego de alguns, outros acham que lhes é devido, tem de se manter profissionais ocupados e necessários, caso contrário ficam na rua. E meterem no CV que naquele ano contribuiram para o 1º e talvez único festival da canção em portugal... é único. Muitos peixes querem morder esse anzol.

    Eu lamento porque achei esse concurso muito limitado em termos de acessibilidade. Tentei comprar bilhetes tinha umas 8000 pessoas à frente. Tentei saber como podia participar, sei lá. Anunciam como se fosse uma coisa para o público, mas não é. É só mais um programa de TV para os profissionais do costume fazer CV, para a RTP afagar o ego e para as pessoas se deixarem ficar sentadas no sofá de casa - se quiserem, que acompanhem pelo televisor. O fato de ter ser feito em Portugal não abriu portas para que pudesses assistir ao vivo o evento. Então bem que podia ir para a lua... E viamos os profissionais todos a lutarem uns com os outros para serem os primeiros a vestir um fato espacial e fazer um direto de lá! Ahhaha

    ResponderEliminar
  4. Ah, e o Malato já se colou feito CARRAPATO ao festival.
    Ai de quem não o associe com o evento.

    Era como o Eládio Clímaco e os Jogos Sem Fronteiras.
    Desculpando a comparação absurda por serem duas alturas distintas na TV e dois profissionais distintos, o que muitos pretendem hoje em dia é essa associação.

    ResponderEliminar
  5. Quanto à parte da comunicação social o grave não é isso tanto quanto é NÃO RECTIFICAR como tu o fazes aqui. Se lançam factos infundados ou que foram alterados, a "notícia" deve incluir isso. "O JN apurou que o painel de apresentadores será de facto outro que aquele comunicado anteriormente, na "edição" x" (kkk). E até deviam acrescentar: "a confusão deveu-se a uma fonte da RTP ter mencionado os anteriores nomes pensando nos Globos de Ouro cuja edição X começa a ser delineada nos bastidores".

    Ou então dizer mesmo: desculpem, a estagiária confundiu-se!

    Gafs podem acontecer.
    Fingir que não aconteceram e não rectificar, isso sim, tira credibilidade jornalistica.

    ResponderEliminar
  6. Nenhuma das apresentadoras irá apresentar um programa inteiro, porque o evento realiza-se em duas semifinais e uma final ao longo, obviamente, de datas diferentes.
    A Daniela Ruah, para além da sua já longa carreira de atriz, tem experiências no mundo da apresentação e, no fundo, é internacionalmente o símbolo da nossa portugalidade.
    Noto da parte da Portuguesinha, em relação a tudo e a todos, um contínuo desdém, numa certa sobranceria tonta que ainda se encontra muito no povo português. Pelo que escreve, ninguém tem valor, desde os/as apresentadores que se esmifram para se chegarem à frente, como se as coisas funcionassem desse modo,até à venda dos bilhetes. Há, pois, uma visão redutora que faz do país um sitio de pacóvios e de novos ricos que, coitaditos, tiveram a sorte - única e irrepetível, na sua perspetiva,de ganhar o festival da Eurovisão e agora andam numa atarantação.
    Entristece-me constatar que há ainda portugueses emigrantes que continuam a ter uma visão fatela do seu país.
    Relativamente ao final do seu comentário e quando escreve "isso sim, tira credibilidade jornalística " parece dar a entender que a minha crítica ao jornalismo é de somenos importância. Há que ter alguma sensibilidade na maneira como usamos o discurso e, desculpe a minha frontalidade, a Portuguesinha, pelo que lhe leio, exige sempre demasiado dos outros que, para si, parecem andar eternamente em contramão

    ResponderEliminar
  7. Calma, malta, sou eu que vou apresentar. E levo a minha cadelinha para me defender de qualquer eventual ataque.
    Boa tarde, Célia. Beijinho

    ResponderEliminar
  8. Ahahahahah. ...se ela ladrar muito é porque não morde!
    Beijinho, A

    ResponderEliminar

Conte...