7.5.17

Estás aí? Sim, mãe, estou aqui.

E continua com aquele hábito que sempre lhe conheci: reproduzir em discurso direto as conversas com terceiros. Do fundo dos tempos, parece que ouço um vai direto ao assunto. Mas não,  não consegue. E por entre a reconstrução do diálogo havido, encaixa adjectivação abundante,  reflexões sobre estados de espírito que captou na altura, usando, para tal, um timbre de voz mais cavo - aquilo que acho podermos considerar um discurso oral entre parênteses. Continua a ter dificuldade em ventilar o discurso, esgota o ar até à última sílaba que mal se ouve e que fica ali, a pairar no ar, sem entoação, logo seguida de uma tossidela que a sacode toda.
Respira fundo e retoma a sua maratona verbal.
Está feliz, e conta que umas doutoras tinham lá ido ao centro de dia, carregadas com um cesto de livros para distribuir pelos utentes e que vinham da parte da Câmara Municipal. Gostou muito da ideia, mas, de sorriso meio maroto, lá acrescenta que há muita gente que não conhece uma letra do tamanho de um boi. E diz que nem conseguia imaginar-se sem saber ler e que já leu quase todos os livros dos santinhos que têm sido publicados com o Jornal de Notícias, e que anda a ler o de S.Josezinho e salta para os bisnetos e pressinto-lhe o sorriso quando em discurso direto reproduz a frase do bisneto mais velho, gritada pelo telefone: bisa, beijinhos!
E fala dos netos que andam fora  de portas e a preocupam muito, e queixa-se das artroses que não a largam e que se não fossem as pernas tudo estaria bem.
- Estás aí?
- Sim, mãe, estou aqui.
Despedimo-nos. Pouso o telemóvel.
Estes são os 85 anos da minha mãe e que, mesmo com as irreversíveis artroses, ela possa continuar por mais uns anos junto de nós com as suas pequenas histórias cheias de vivacidade e energia.
Beijinho, mãe.

6 comentários:

  1. Nunca desligues o telefone.
    Do outro lado possa a senhora tua mãe continuar as "pequenas histórias cheias de vivacidade e energia!.

    Beijo, C

    ResponderEliminar
  2. O Dia da Mãe comemora-se em Macau no próximo domingo.
    Boa semana!

    ResponderEliminar
  3. Mães! Felizes os que (ainda) as têm...
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  4. Sim, António. Vivemos à distância de 30 km e todos os dias lhe telefono, para além de a visitar com frequência. Merece tudo!
    Brijo, A

    ResponderEliminar
  5. Sim, Pedro?
    Há vários outros países, inclusive aqui na Europa, que comemoram este dia em datas diferentes.

    Obrigada

    Bom resto de semana,

    ResponderEliminar
  6. É isso, José!
    Quanto mais o tempo avança, mais profunda se torna essa noção de apego.
    Obrigada.

    Saudações

    ResponderEliminar

Conte...