11.10.16

Ou é impressão minha...

Ou parece que, e pelo que leio nalguns blogs, anda por aí muita gente a pensar que Bill Clinton está de novo na corrida à Casa Branca!
Há uma outra hipótese, na qual não acredito, que é a de se fazer um juízo de valor sobre uma mulher a partir das deprevações (?!) sexuais do marido. Por osmose? Pela idiotice do postulado católico-judaico um só corpo, uma só alma? Ou pela f.d.p...ice de alguns fulanos que, no século XXI e no meu país, insistem na ideia do chefe de família e da sublternidade da fêmea que deve ser o reflexo do seu macho?
Não, não me refiro a essa mesma arma usada por Trump contra Hillary Clinton, refiro-me, repito, ao que li em comentários de blogs. Também não estou a endeusar a senhora, enquanto candidata a presidente dos U.S.A., porque não será grande flor que se cheire, mas, pergunto: se fosse uma situação inversa funcionaria como traço a incluir no perfil do candidato?
É esta menorização da mulher que me irrita e me leva a concluir que temos por aí muitos Trumps à portuguesa.

Já quase a publicar este desabafo, ocorreram-me duas situações que, também elas, comprovam o machismo porco, mau e feio de uns tantos que vivem paredes-meias connosco.

A afirmação de um truculento taxista que diz, sem pejo e diante das tv's: as leis são como as virgens, existem para ser violadas!
Outro, boçalão, berra para um condutor da Uber: filho da puta! Corno!
Dizem que são expressões normais e eu cresci a ouvi-las, infelizmente, mas, nos tempos atuais, não pudemos deixar de repudiar estes insultos "tradicionais" que acabam por enxovalhar as mulheres.

6 comentários:

  1. Entre Trump e Florêncio existem diferenças?
    Já sei, nem Trump é taxista nem Florêncio é candidato à presidência dos 'states'.

    Beijo, C

    ResponderEliminar
  2. Um pequenino pormenor de diferença!
    Pffffff

    :-)

    Beijo, A

    ResponderEliminar
  3. Também escrevi hoje acerca do tema.
    Que debate mais deplorável.
    O que se ouviu em Portugal da boca de um bácoro?
    Feios, porcos e maus, só isso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É tudo tão indigno, tão sórdido...!

      Eliminar
  4. Só alguém muito desatento às notícias que a toda a hora nos entram pela casa adentro, pode pensar que Bill Clinton está na corrida à Casa Branca. Eu ainda não encontrei ninguém que manifestasse tal idea.
    Quer-me parecer que esse tipo de confusão, a existir, partiu da jogada suja do Trump de trazer o assunto para a "peixeirada", com o intuito de colar a reputação da mulher às atitudes do marido que, diga-se em boa verdade, não foram muito diferentes das do Trump. Transformar a sala oval em sala oral, não abona mais a favor de um presidente dos EUA, do que a gabarolice de um candidato que se diverte a apalpar "passarinhas". Tentar emporcalhar a adversária com esses argumentos, é tão absurdo como alguém descobrir, na reta final da campanha, um vídeo com 11 anos que não diz muito mais do que já se sabia acerca do "Trumpas". lol

    ResponderEliminar
  5. Claro que não, Zé do Pipo! Tentei ser irónica porque realmente li textos por aí, ainda que de forma residual, a traduzir simpatia pelo Trump e a criticar a Hillary à conta dos devaneios sexuais do marido Clinton. É evidente que aquela coisa desenterrada do vídeo coloca os candidatos no mesmo nível.
    Posto isto,a minha crítica vai exclusivamente para a visão que é dada sobre a mulher, ser que parece subsistir apenas na dependência de um homem e que, por tabela, é caracterizada pelo caráter do marido.
    Isto passa-se nos USA e os outros exemplos portugueses que dei apenas demonstram que esta visão é epidémica e global.

    ResponderEliminar

Conte...