4.6.16

Nirvana

O caminho estreita-se. Ao longo das bermas vamos largando o supérfluo. A leveza alisa-nos a pele e o sorriso desarma o tempo que se escoa inexoravelmente na ampulheta.
Liberdade, liberdade, mesmo, é cair no remanso dos dias, sem a pressão de provar algo, de lutar pelo lugar na fila das coisas.
Liberdade é quando cativar deixa de ser um propósito e passa a essência do ser.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Conte...

Manuel Carvalho, diretor do Público, partiu a cerviz

A coerência, só por si, não faz parte da lista dos princípios éticos de uma sociedade. Há, no entanto, situações em que ela é fundamental pa...