4.5.16

Vírgulas do nosso descontentamento

A vírgula significa uma pausa, um breve respirar. Ensinaram-nos.
Poemas e textos sem vírgulas serão momentos de respiração suspensa?
As nossas emoções despejadas em pensamento usam a vírgula de igual forma?
Se as minhas emoções e a narrativa do meu pensamento são diferentes das tuas implica que usamos as vírgulas de modo subjetivo?

Há regras para o uso deste sinalzinho de pontuação. Quebrá-las é recurso estilístico, criatividade, no artista da palavra. Nos demais é ignorância.

Já não há volta a dar. A ignorância está a invadir a maioria da imprensa escrita, o que é grave, e a popularização da blogosfera veio contribuir assustadoramente para o massacre da pobre vírgula, aliás, da língua portuguesa. Há felizes exceções. E até nestas podemos encontrar pequenos deslizes.
"Presas, que de facto, o não são"

É de temer que a ignorância passe a ditar a regra.
A vírgula é muito mais do que um penduricalho no meio da frase, já que pode desestabilizar o pensamento e, desse modo, alterar comportamentos.







Sem comentários:

Enviar um comentário

Conte...