10.7.13

Cada cavadela, cada minhoca…até à derrocada final!

1. “Adormeceu, despistou-se e morreu ao lado da filha” ( in Jornal de Notícias, 09/07/2013)

2. “ Prova mais acessível do que o primeiro” ( in Jornal de Notícias, 10/07/2013)

Estas duas frases são ambas leads * de notícias. Que se passa com certos jornalistas? Nem alunos do 12º ano escreveriam desta forma!

Na primeira frase, o sujeito dos verbos é o mesmo! Quando afinal foi a filha que adormeceu e se despistou e do acidente resultou a morte da mãe que ia a seu lado.

Na segunda frase, um erro crasso de concordância! Seria “do que a primeira”!

Como pode a comunicação social ser um paradigma da escrita neste país que parece andar à deriva? Ou melhor: como podemos confiar nestes aprendizes?


* lead: primeira parte da notícia e que deve captar a atenção do leitor.

2 comentários:

  1. Quando os 'leads' - coisas que vendem - são cuidadosamente construídos e nos atiram para coisa nenhuma, não há jornalismo.

    Sou contra as grandes parangonas feitas, apenas, para chamar a atenção e 'prender' o leitor.

    O que se passa neste seu 'post' - oh, um anglicismo!!! - é de uma tristeza que não consigo classificar.

    1ª frase: dá a ideia de que quem adormeceu foi ele, o condutor.
    Não sendo, é mais que evidente que a construção da frase está péssima.


    2ª frase: dá outra ideia, a de ignorância a que corresponde um elevado grau de analfabetismo.
    Coitada da letra 'A' que foi (mal) substituida por um 'O' que andava a pedir asilo e misturou-se.

    Houve tempos em que os aprendizes o eram, orgulhosamente aprendendo.
    Houve, disse bem. Não há. Foi-se...

    Fora do contexto mas interessante também: já reparou os erros que se cometem nas traduções cinematográficas?
    E porque será que muitas vezes o nome do filme, em português, nada tem a ver com o original?

    Beijo, L

    ResponderEliminar
  2. Olá, A.

    Não se trata de gostar ou não de parangonas, cachas, etc, qualquer notícia precisa de um título e até de um subtítulo. Será através deles que cada leitor irá, ou não, aprofundar a leitura da notícia. E é aqui que entra o tal "lead".

    Quanto ao anglicismo ( o seu e o meu... a cotovelada foi gira e subtil...ahahah)queria apenas esclarecer que "lead" é o termo científico que se usa em português e, para que fique mais chocado ;).. faz parte dos conteúdos programáticos da disciplina de Português, 10º ano, relativos à "notícia" (textos dos media).

    Deixo este link.

    http://www.scribd.com/doc/56529259/Apontamentos-Portugues-1-10%C2%BA-Ano

    Quanto às traduções mirabolantes de alguns filmes...teríamos aqui assunto para vários tomos! Há traduções que não lembram ao demónio.Já não será o simples facto de se afastar do original, será igualmente porque pode levar as pessoas ao engano. Há um blog que visito diariamente, suponho que o autor é tradutor, e o senhor faz um levantamento diário sobre más traduções sobretudo feitas nos telejornais e/ou comunicação social.

    :)

    Beijo, A.

    ResponderEliminar

Conte...